Grupo Voluntariado Crianças Livres promove ação social para arrecadar mais de 200 cestas de Natal para famílias carentes em Foz.

O grupo Voluntariado Crianças Livres está promovendo uma ação social para arrecadar produtos para montagem de cestas de Natal para famílias carentes de Foz do Iguaçu.

Com cerca de 90 membros, o grupo já promoveu diversas ações, como reforma da associação de moradores do Jardim Canadá, diversas intervenções culturais e festivais para crianças e adultos de comunidades carentes na cidade.

Neste ano, mesmo com a pandemia, os voluntários pretendem arrecadar alimentos para confecção de mais de duzentas cestas.

As doações podem ser feitas por empresas e entidades através de dinheiro ou alimentos não perecíveis.

Confira na lista abaixo o que pode ser doado:

  • macarrão
  • molho de tomate
  • óleo
  • arroz
  • seleta de legumes
  • panettone
  • caixa de bombom
  • refrigerante
  • frango
  • farofa pronta

Doações em dinheiro devem ser feitas na seguinte conta:

Fabiana Corrêa Marchesini
CPF 056.294.819-83
Agência 0001
Conta 43349447-7
Banco 260 – Nu Pagamentos S.A.

O valor unitário cotado para a cesta de Natal é de aproximadamente R$63,00.

Para mais informações procure Zani Rotela (45) 99154-0312 e Fabiana Corrêa Marchesini (45) 99997-6028.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Casas vão atender famílias que vivem em área de risco em Foz do Iguaçu

Falta pouco para 25 famílias em condição de vulnerabilidade receberem as chaves da casa própria em um conjunto habitacional novo na Vila C, em Foz do Iguaçu, no Oeste do Estado. As unidades são fruto de uma parceria entre Governo do Paraná (Cohapar), Itaipu Binacional e a prefeitura (FozHabita).

A Companhia de Habitação do Paraná deu todo o suporte para que as moradias saíssem do papel e colaborou com os projetos. A Sanepar e a Copel participaram com a implantação de suas respectivas redes. O maior investimento foi da estatal de energia (R$ 1.581.547,59 em 21 unidades) e a autarquia municipal bancou as outras quatro.

São 23 unidades com 32 metros quadrados e duas com 49 metros quadrados, adequadas para receber pessoas com deficiência e idosos. Elas têm dois quartos, sala e cozinha, além de painéis solares integrados à rede de energia elétrica, de olho na sustentabilidade e na diminuição de custos diários com a conta de luz. As lajes são de concreto, facilitando a climatização em uma cidade com verões escaldantes. As casas contam com calçadas e pias nas cozinhas, além de tanques do lado de fora.

Elas estão dispostas em um terreno com 835,8 metros quadrados com um grande gramado no centro, ocupando um espaço onde antes havia um campo de futebol abandonado. O terreno foi cedido pela prefeitura em uma região com ruas asfaltadas (Andradina e Sapucaí), boa infraestrutura de comércio e serviços básicos e área verde preservada, às margens do lago da usina. Restam apenas as ligações de luz e água para efetivar essa transformação social. As casas serão entregues em janeiro.

“O Governo do Estado tem compromisso com a habitação porque esse é um programa social realmente transformador. Estamos construindo unidades para perfis específicos, como idosos e população de baixíssima renda, incentivando o desfavelamento e formando parcerias com a Itaipu Binacional, com a Caixa Econômica Federal e com a iniciativa privada para aumentar a quantidade de unidades habitacionais nos municípios”, afirma o governador Carlos Massa Ratinho Junior.

“É um investimento que ajuda a diminuir o déficit habitacional do Estado e que dá dignidade para famílias que vivem em uma área vulnerável”, completa Jorge Lange, diretor-presidente da Cohapar. “Demos todo o suporte para esse programa de Itaipu Binacional sair do papel e ajudamos com os projetos. É uma parceria que vai transformar a realidade de muitas famílias na região Oeste”.

CÓRREGO BRASÍLIA – Os novos moradores da Vila C vivem no chamado Córrego Brasília, às margens do Lago de Itaipu, em uma área mais rural de muitas nascentes e mata mais fechada. Todas as 21 famílias da comunidade receberão as chaves de casas novas, assim como uma que mora em uma área rural afastada, além de três casos emergenciais acompanhados pelo município.

“É uma área de mata, de banhado, muito perigosa. Passei uns quatro anos lá. Conheço as necessidades desses moradores. É sofrido porque não tinha como fazer um banheiro – furava um pouco e já vertia água. Quando chovia atrapalhava. Sofremos bastante, mas sobrevivemos”, afirma Nilson da Silva, 42, montador de eventos, cujo ramo foi duramente impactado pela pandemia. Ele é vizinho do novo condomínio da Vila C e em breve vai reencontrar antigos colegas.

“Quando chovia alagava, molhava a casa inteira. Depois que saímos, há quatro anos, ficou mais difícil, o pessoal conta. Verte o esgoto, tem que passar no meio das fezes, é muito transtorno”, completa Cláudia Aparecida Bernardo, 35, esposa de Nilson, dona de casa e de um mercadinho que vende refrigerante e salgadinhos. Eles viveram um tempo em Santa Catarina e voltaram para Foz do Iguaçu após ganharem a casa em que moram num programa de televisão.

As nascentes do Córrego Brasília estão localizadas em uma área de preservação permanente da região, na divisa entre os bairros Vila C Velha e Vila C Nova. A água que corre por ele deságua no Rio Bela Vista, que integra o complexo do Canal da Piracema. Além da possibilidade de ganho social, a Itaipu melhorará o cuidado ambiental dessa região, inclusive com o plantio de novas árvores para proteger a natureza.

Para auxiliar ainda mais essa mudança e a vida na Vila C, a Itaipu Binacional e a Prefeitura de Foz do Iguaçu investiram em obras de infraestrutura e coleta seletiva. Foram R$ 3,5 milhões em pavimentação e R$ 7,8 milhões para a reforma de oito barracões da separação de descartáveis recicláveis. “A vida no bairro é tranquila. Cresci aqui, conheço bastante gente, e tem a Itaipu de pano de fundo”, arremata Cláudia.

Ligeirinhas do Busão Foz 04/12

QUAL É A BOA, com a Vivien de Lima

• Os recursos da Lei Aldir Blanc chegam a 3 bilhões para os municípios. Artistas se articulam para solicitar ao governo federal a prorrogação da Lei Aldir Blanc.
• Foi eleita a nova diretoria do Sated/Pr. O Sindicato dos Artistas e Técnicos em Espetáculos de Diversões elegeu o seu novo Presidente Adriano Estorilho. Entrevista com Marcos Dellazari do PTI que nos fala sobre o Latinoware, evento virtual que contou com mais de 4 mil inscritos. O evento iniciou dia 2/12 e encerra hoje dia 4 de dezembro. O primeiro dia de Latinoware foi acompanhado por quatro mil pessoas pela internet, um grande público com discussões e trocas de conhecimento sobre a evolução das tecnologias abertas e suas aplicações, em um ano em que as inovações tecnológicas se demonstraram tão necessárias, tanto para manter conexões em tempos de isolamento como para criar soluções para o enfrentamento ao coronavírus.
• Entrevista com Bruna Paz coordenadora do Busão Foz que falou da parceria com o Programa Band Verdade e como se dará a atuação do portal de notícias na cidade apartir da semana que vem.
• Luiz Henrique ex-candidato a Prefeito de Foz pelo PT estreia programa na Band Fm. É Foz na Band, notícia e variedades.

Apresentação: Gilberto Rios, Vivien de Lima, João Pedro e Weverton. Participação especial Luis Henrique, ex candidato a prefeito do PT por Foz do Iguaçu e Marcos Dellazari do PTI. Rádio Band FM (Foz do Iguaçu) 100,5 semanalmente no horário 12h/13h.